Militares repudiam orientações de Lula, que ameaça jogar o país no caos com o uso do MST.

fevereiro 27 02:01 2015


Militares repudiam orientações de Lula, que ameaça jogar o país no caos com o uso do MST.

O General Pimentel, presidente do Clube Militar, ao publicar o pensamento do clube, deixa no ar a desconfiança de que pode haver algo de maior por traz das declarações de Lula no sentido de convocar o MST para defender a manutenção da hegemonia da esquerda no país. O que há mais por trás disso? Pergunta o general. Muita gente sabe que o MST age em acordo com outras milícias de países como Cuba e Venezuela, e que Luis Inácio é um dos cabeças do famigerado Foro de São Paulo, que alguns consideram uma organização criminosa de alta periculosidade e capaz de oferecer risco real à soberania do país. Mas, as declarações de Pimentel também servem para tranqüilizar a sociedade. O general fez questão de dizer no final do texto, mandando um claro aviso à esquerda, que o exército sempre defenderá o país, em questões internas e externas.

 Na medida em que se aproxima o dia 15 de março a liderança esquerdista de todo o país entra em desespero. Aqueles que forem para as ruas tem de estar preparados pois declarações de Lula e de outros líderes deixam claro que pode haver grandes tumultos se a esquerda decidir ir para as ruas enfrentar a sociedade que se manifestará contra Dilma Roussef. Autoridades policiais tem de estar atentas e agir dentro da lei. Desde já solicitamos que serviços de inteligência estejam prontos para identificar possíveis planos de infiltração, criação de tumultos e vandalismo. 

Texto do Clube Militar:

O BRASIL SÓ TEM UM EXÉRCITO: O DE CAXIAS!

Ontem, nas ruas centrais do Rio de Janeiro, pudemos assistir o despreparo dos petistas com as lides democráticas. Reagiram inconformados como se só a eles coubesse o “direito” da crítica aos atos de governo. Doeu aos militantes petistas, e os levou à reação física, ouvir os brados alheios de “Fora Dilma”.

Entretanto, o pior estava por vir! Ao discursar para suas hostes o ex-presidente Lula, referindo-se a essas manifestações, bradou irresponsáveis ameaças: “ ..também sabemos brigar. Sobretudo quando o Stédile colocar o exército dele nas ruas”. Esta postura incitadora de discórdia não pode ser de quem se considera estadista, mas sim de um agitador de rua qualquer. É inadmissível um ex-presidente da República pregar, abertamente, a cizânia na Nação. Não cabem arrebatamentos típicos de líder sindical que ataca patrões na busca de objetivos classistas.

O que há mais por trás disso?

Atitude prévia e defensiva de quem teme as investigações sobre corrupção em curso?

Algum recado?

O Clube Militar repudia, veementemente, a infeliz colocação desse senhor, pois neste País sempre houve e sempre haverá somente um exército, o Exército Brasileiro, o Exército de Caxias, que sempre nos defendeu em todas as situações de perigo, externas ou internas.

Share Button

Comentários no Facebook